Blog

Prevenção Saúde

Vacinação na Pessoa Idosa:

Vacinação na Pessoa Idosa:

A terceira idade é marcada pelo declínio da imunidade natural, o que torna o idoso mais suscetível a infecções virais e bacterianas. A redução das proteções imunológicas na velhice, processo conhecido como imunoscenecência, é causada por várias modificações que ocorrem no sistema de defesa.

Quando exposto a algum microorganismo causador de doença, o corpo do idoso tem maior dificuldade na identificação do agressor, etapa inicial e necessária para a formação de imunidade.

Além de não reconhecer bem o patógeno, o processamento das informações pelo corpo também é errático, assim como a produção de anticorpos pelas células de defesa, que ocorre em menor quantidade e qualidade. 

Se isto não bastasse, o sistema imunológico do idoso pode se confundir e produzir anticorpos contra o próprio organismo, situação que aumenta a prevalência de doenças auto-imunes nesta população.

Apesar destas informações causarem apreensão e demonstrarem a fragilidade da imunidade do idoso, existe uma maneira de melhorar o funcionamento do sistema de defesa, através das vacinas.

Com a utilização de imunizantes especiais para a pessoa idosa, é possível estimular o próprio sistema imune a trabalhar de maneira mais eficaz, reduzindo assim a gravidade de infecções. 

A utilização de vacinas é uma medida simples, custo efetiva, que pode melhorar a qualidade de vida do idoso. Estes são os imunizantes recomendados para pessoas com mais de 60 anos:

  • Tríplice Bacteriana: Protege o idoso contra difteria, tétano e coqueluche. Se nunca foi aplicada, necessita de 3 doses para que a imunização seja eficaz. Após o esquema completo, tem um reforço a cada 10 anos.
  • Influenza: Proteção contra diferentes variantes do vírus da gripe, muitas vezes causador de complicações graves na pessoa idosa. A vacina é capaz de reduzir a mortalidade em idosos pela doença em mais de 50%. Necessita de aplicação anual, pois estes patógenos sofrem frequentes mutações, diminuindo a eficácia do imunizante. 
  • Herpes zoster: Doença causada pela reativação do vírus da varicela, geralmente adquirido na infância, o qual permanece latente durante a vida. Muito comum na velhice e causador de sequelas neurológicas, principalmente dor crônica. A utilização de vacina, a qual tem sua dose única, pode reduzir a chance de desenvolver a doença e suas complicações. 
  • Vacina pneumocócica conjugada 13 valente (VPC-13): Aumenta a imunidade natural contra 13 variações de bactérias causadoras de pneumonia no idoso, reduzindo a severidade da doença, prevenindo principalmente as formas de infecções generalizadas.
  • Vacina pneumocócica polissacarídea 23 valente (VPP-23): Complementar à VPC-13, com o objetivo de prevenir a doença bacteriana invasiva, de origem respiratória. Abrange 23 subtipos de bactérias pneumocócicas, as quais causam 90% de todas as infecções pulmonares no idoso. 
  • COVID-19: Diversas vacinas estão sendo aprovadas e utilizadas em todo o mundo para prevenir a doença que mais afetou os idosos da nossa geração. Em geral estão sendo bastante eficazes e seguras, apesar da indisponibilidade atual devido a grande demanda global.

Atuar de modo preventivo, com a aplicação de imunizantes, é uma maneira segura, prática e simples de evitar complicações de doenças que afetam o idoso. As vacinas raramente apresentam contra indicações ou efeitos adversos graves, sendo um recurso valiosíssimo na busca por aumentar a longevidade e qualidade de vida da pessoa idosa.

Envia para seus amigos:

Deixe seu comentário

Posts mais lidos

Banner
Alexandre Casco Pietsch - Doctoralia.com.br