Blog

Dicas Qualidade de vida Saúde

O que é qualidade de vida para você?

O que é qualidade de vida para você?

Pessoas idosas com várias doenças crônicas possuem demandas diferentes em relação aos seus cuidados com a saúde. O que importa para o paciente pode contrastar muito com o que é prioridade para o médico.

Encontrar o caminho do meio, conciliando expectativas e possibilidades, faz parte da arte do cuidar, a qual deve ser exercitada através da medicina centrada na pessoa.

Este alinhamento entre profissional e paciente traz benefícios mútuos, pois é através da boa comunicação que se torna possível a melhor aderência e consequente resposta ao tratamento. Ou seja, o melhor medicamento disponível só irá fazer efeito se a pessoa aceitar tomar e acreditar que ele irá lhe trazer algum benefício. 

Uma pesquisa científica publicada na renomada revista JAMA, em março de 2021, nos dá luz sobre este tema. Nela, foram estudadas quais são as preferências de pessoas idosas doentes, em relação aos seus próprios cuidados com a saúde. Em outras palavras, o que é mais importante em seus tratamentos para melhorar sua qualidade de vida.

A situação relatada como mais relevante, não tem ligação direta com a própria saúde física e sim com relações sociais. As respostas mais frequentes, entre os idosos participantes do estudo, foi que o mais importante em suas vidas é poder fazer refeições em família, visitar amigos e brincar com seus netos.

Outra resposta bastante presente foi poder fazer compras fora de casa e exercitar-se de maneira diferente à apenas realizar caminhadas (por exemplo dançar, nadar, fazer ioga e Tai Chi).

Claro que não poderia faltar na lista a manutenção de capacidades para o autocuidado, na qual foram listados os desejos de permanecer morando em suas próprias casas, levando uma vida independente.

Para que estes objetivos possam ser cumpridos, algumas situações de ordem física precisam ser atendidas, possibilitando então, o exercício da autonomia e conquista de maior qualidade de vida.

Quais foram elas?

Dores nos joelhos impactam na capacidade de brincar com os netos, então este deve ser um sintoma a ser combatido, de forma medicamentosa e não farmacológica, com propostas de fortalecimento muscular, por exemplo.

Estar capaz de fazer refeições com amigos e familiares, significa poder cozinhar, habilidade que requer capacidades de locomoção, de execução de movimentos finos com as mãos, ter boa visão, paladar e olfato.

Para fazer refeições fora de casa o idoso precisa estar interessado em sair, livre de fadiga, de desânimo e outros frequentes sintomas que podem se relacionar à depressão.

Poder ir às compras, significa conseguir conduzir um veículo ou usar outros tipos de transporte. Para isto, o idoso precisa ter boas capacidades de mobilidade, equilíbrio e cognição. 

Estes são apenas alguns exemplos de como deve ser compreendida a saúde do idoso, que é muito complexa para ser resumida a uma queixa isolada.  É necessário não somente controlar sua saúde, mas sim levá-la para a direção de sua promoção, voltada prioritariamente para obtenção de qualidade de vida.

Deve-se buscar através da Medicina a resolução de problemas práticos, com um olhar integral para a saúde relacionada ao contexto de vida de cada pessoa idosa. Fazer o possível para melhorar as capacidades funcionais e fazer cumprir seus desejos, antes de objetivar unicamente o controle de doenças, sintomas ou números em exames laboratoriais. Somente assim, poderá ser obtida a qualidade de vida tanto almejada.

Link da pesquisa citada no texto: https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2777860 (doi:10.1001/jamanetworkopen.2021.1271)

 

Envia para seus amigos:

Deixe seu comentário

Posts mais lidos

Banner
Alexandre Casco Pietsch - Doctoralia.com.br